Dizem os números que um ano cessou...e outro iniciou...Assim sendo,ou não,no tempo sempiterno,Eu Vou...Um abraço de muita paz e muito amor...a quem comigo, neste barco for...

Quando meu tempo mo permitir, porei neste espaço, o que e o quanto me possa brotar,para convosco desabafar...neste mundo de corridas, neste mundo de porquês...
01/01/2017
margui




domingo, 11 de maio de 2014

onze de maio/Do Alentejo à Ria Formosa



Do Alentejo à Ria Formosa(instrumental  de "Eu ouvi um passarinho")
I
Alentejo, vista longa
Horizontes verdejantes
De crés a crés uma onda
Colinas de diamantes

Refrão
Quem passa por estas terras
Regista o encantamento
Respira o verde e as serras
Enche o peito ao sentimento

Me regalo nestes campos
Desço e paro no mar
Molho-me fico salgada
Com vontade de chorar

II
Chorar a minha alegria
Partilho-a, fico vaidosa
Amar o nascer do dia
Cantar à ria Formosa


03/05/2014


margui

1 comentário:

  1. vontade de chorar? nem de alegria! A planície alentejana transmite uma calma imensa, o Oceano ainda maior, uma imensidão de calmaria e paz! A maresia entra-nos pelas narinas, com aquele aroma inconfundível, que nos dá uma sensação de enorme bem estar! Só apetece mesmo é cantar!

    ResponderEliminar

É um prazer, receber o seu comentário.
Obrigada pelo contributo.
maria guida