Dizem os números que um ano cessou...e outro iniciou...Assim sendo,ou não,no tempo sempiterno,Eu Vou...Um abraço de muita paz e muito amor...a quem comigo, neste barco for...

Quando meu tempo mo permitir, porei neste espaço, o que e o quanto me possa brotar,para convosco desabafar...neste mundo de corridas, neste mundo de porquês...
01/01/2017
margui




segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Nesta crise, há que poupar.

Estávamos nós tão pomposos
Na hortinha, arrebitados

E quais foram nossos pecados?

Plas orelhas nos cortaram
Na fervura nos entalaram
E num átimo nos gelaram…

Mas qué isto cus diabos?

Estamos agora a escorrer
No escorredor da loiça
Psiu…silêncio, ora oiça
A dona da casa a dizer:

_ Nesta crise, há que poupar…
Se na horta iam espigar
Não são tempos de estragar
Há mesmo que branquear
Esfriar e congelar

Ides ver qual o jeitão
Que nos fazem no Verão
Tirar da geleira e fazê-los
Com arrozinho de grelos
...
Ou de outros modos…pois então
Arroz, não é obrigação
É só cozê-los…
Temperá-los…
E comê-los.

Bom apetite

                                   maria guida

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

A chuva ainda não veio

É Fevereiro
Há sol, muito sol!
Nas árvores já há chilreio
E, a chuva de Inverno…
Ainda não veio…

Não pairam nuvens, nem mostram seu ar
Apenas secura, nos vem sussurrar
Falta-nos vida, as estações nos mentem
E o homem, e a natureza, assim o sentem

Querer-nos-ás aumentar a crise?
Tu, chuvinha por quê estás a dormir?!
A tua névoa não nos quer sorrir…
Peçamos a DEUS que analise!

Queremos prados mais verdes
Queremos flores mais garridas
Queremos ribeiras limpas
Pra que não se limpem vidas
                                          Lixo, arbustos e ratazanas a monte...
...Se chove, com fúria e força
Neste mundo em descontrolo
Não estar atento é tolo
Lixeira provoca mossa

E…
Aí, é que vão ser elas…

Vejam a nossa ribeira, em Odivelas!

maria guida

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

S:Valentim...:)





Verdadeiro Amor...

Quando nasce puro é infinito
Mesmo que um vagão seja constrito
Insigne, é vivê-lo em DIGNIDADE
Reino do brio, decoro e VERDADE

Viva o Amor….
margui

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Mistério


O mistério da voragem, desta imensidão
Desfaz- se em ritmos sem forma
Desregradas ondas que são
Com que o mar se treva torna

Neste abismo…,
Boiam barcos à procura
De matar a fome, a ânsia, a peitos
E farrapos de tortura
Com tantos sonhos desfeitos

Mas, vão em frente, rezam em paz
Pla esperança que a dor lhes traz
É aquela, a última a morrer
Quando há bocas pra comer
Quando há outras vidas a fazer

Nesta pérola de solidão de ostra
Neste muro de lágrimas salgadas
Há tristezas, alegrias e utopias preservadas
É a magia deste Mundo, da Terra Nostra!
É seda e sede e lamento de tanta fantasia!
É misto de tristeza e alegria!
Tantas vezes de euforia…

maria guida

domingo, 5 de fevereiro de 2012

A música do silêncio

Se os ouvidos ficam cansados, de tontas palavras
Rio e mando-as às favas...
Prefiro meu silêncio que nunca é solidão
Dançando suas notas, ao som de cada vagão

Nessa música sinto o silêncio da minha alma,
 Meu abrigo
E nesse silêncio, todos os sons se afogam
 Comigo
Afundam-se na profundidade do meu ser, em doce sopro
Caseando cada pormenor, dos compassos de meu corpo

Emerge então a música do silêncio, sem confusões
Hipnotizando e abrindo os melhores alçapões
É meu rio que desce, calmo, da montanha
E alaga meu chão de ternura tamanha

Não sou nada eloquente
Mas sou de mim convincente:
...
Neste chão danço a minha canção
A minha paz, que é a minha emissão.

maria guida

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

O mar nos extasia


O mar nos extasia, bem ou mal
Contornando, sem medo, todo o pedregal
E a brisa, essa,
Em que a beleza matinal não cessa
Abraça o tempo, que não tem pressa
Porque a cada manhã, novo sol virá
E a cada noite, desigual dia brotará
E nova e doce maresia
Peneirará.

Olhando esta força, imensidão
Não tenhamos pura ilusão
 Estupidez e mediocridade
É falta de brio e dignidade
Vencer, cada penedo, é consciência
É correr a vida, na claridade
Contornando cada dificuldade
É coragem de mar, de excelência
Mostrando a nossa valência

Ilusão de contorno, escondida é maçada
É tonta verdade, é baixar à proa
É deslustrar-se em pessoa
…….. é Nada …….

maria guida