Dizem os números que um ano cessou...e outro iniciou...Assim sendo,ou não,no tempo sempiterno,Eu Vou...Um abraço de muita paz e muito amor...a quem comigo, neste barco for...

Quando meu tempo mo permitir, porei neste espaço, o que e o quanto me possa brotar,para convosco desabafar...neste mundo de corridas, neste mundo de porquês...
01/01/2017
margui




domingo, 19 de agosto de 2012

O mar




Deitada na areia, cantando a minha terra...
 "Viseu senhora da Beira", aproveitei o seu instrumental e sonhei...:)

E dedico aos meus filhos, cujos nomes começam por Mar... :)

O Mar, mostra seu encanto
Enrola nele a magia
Despe na areia seu pranto
À procura de folia
Embrenho no seu bailar...
Cada vaga, nos acalma
Rola pra nos massajar
...O corpo mexe có alma

Onda,
Logo aparece e se esfuma
Em toque de sumaúma
Mostra o seu encantar...
Bater,
E na areia renascer
No meu corpo dá pra ver
Que só me queres beijar...

Do mar, nasceram meus filhos
Por ele me enfeiticei
Remei com todos meus trilhos
Com todos eles amei...
Navego nas tuas vagas
Sonho e relaxo por cá
Também me dispo das mágoas
Eternamente oxalá...


Onda,
Logo aparece e se esfuma
Em toque de sumaúma
Mostra o seu encantar...
Bater,
E na areia renascer
No meu corpo dá pra ver
Que só me queres beijar...



                                                                     Maria Guida Rodrigues

segunda-feira, 13 de agosto de 2012



Vai o peso do corpo, nessa descalça imagem
Acontece em cada dia, com cada viagem
Vai avante, dimanando outro florir
Em cada passo, mais um passo no porvir

Descalço, sente-se a força deste Universo
Energia que alimenta cada progresso
Privilégios para quem quer renovar
A fé, no além, que se vai concretizar
...
Do solo vem a força universal, a coragem 
Ao pôr do sol,se agradece cada vantagem...

Quanta textura amarga ou doce nós pisamos
Quanto degrau no percurso, nós deambulamos
Quantas lições que se aprendem nesta vida
Quanta enciclopédia, que nos serve de guarida
...
Esperamos em cada fim, o início de melhor partida...

Obrigada ao Universo!

Maria Guida


Maria Guida

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Bela saudade...




Oiço-te passar ao de leve
Escondida pela sebe
Que te esfria a passagem.
Ignorada a cada margem!

...Corres tão devagarinho
Porque te é longo o caminho

Com ondas de prata me chamas
Com teus reflexos me acenas
E eu...com vontade de ir...
Nesse teu manto a fluir...

As tuas bagas e lontras
Fazem brincadeiras tontas
Atiram-se em correria
De penedo em penedia
Até o castelo via...

Tua prata tem sarampo
Porque do céu caiu pranto
E neste chuvisco, eu refresco
Do alegre, me manifesto
...
Rio e sonho acordada
À tua beira plantada!

E grito
“Sou eu”
E do meu mundo sei eu
Dele farei um museu
Chamado “Bela Saudade”
Do que eu chamava “Verdade”

Maria Guida Rodrigues