Dizem os números que um ano cessou...e outro iniciou...Assim sendo,ou não,no tempo sempiterno,Eu Vou...Um abraço de muita paz e muito amor...a quem comigo, neste barco for...

Quando meu tempo mo permitir, porei neste espaço, o que e o quanto me possa brotar,para convosco desabafar...neste mundo de corridas, neste mundo de porquês...
01/01/2017
margui




sexta-feira, 30 de março de 2012




_ Bom dia, manhã lavada
Oiço alguém a rir-se?!
A persiana geme
Com pressa de abrir-se…:

_ Pelas minhas frestas
Alguém quer entrar
 Vai daí acorda
Tens que arejar…

Não sei se é um sonho
Mas eu me levanto
E fico encantada…
Da chuva era o canto!

Qual o meu espanto!
Hoje, não há sol não!
Veio a chuvinha
Quente e só minha
Eu lhe estendo a mão
Agradeço o pranto!

_ Chuvinha abençoada
A terra, por ti espera
Está tão queimada!
Pla mão do Homem
  …Danada…


maria guida

quarta-feira, 21 de março de 2012

3º terceiro aniversário, Bloguinho


Contigo Blog

Criara-se um novo espaço, que não existia antes
Um Vazio
Um Vazio
Sequioso, inquieto, de partículas reclamantes

Este vazio atraía nova aprendizagem
Vai …vai…foi meu mantra de coragem!

Na companhia, de todo Mundo em expansão
Aperfeiçoei-me noutro tipo de perceção
Busquei partilha no silêncio informático
Nesta tela, neste quadro fascínio, carismático

Dei-me conta de que o gárrula, é só barulho
Este, em desequilíbrio, é pra vida entulho
Entre as formas de violência, aí fora
É a força mais subtil, mais devastadora

Aprendi neste silêncio, a saber escutar
E que todas as coisas têm a sua voz
E que o mundo sempre continua
Sem ti, sem mim, sem vós…

Hoje, por aqui, semeio legumes e flores
O útil, o belo, também reles pormenores
Apercebo-me, de tantos modos de viver
E vá lá, até de mim, eu entender…?!

Aprendi, que o belo e absoluto não subsiste
Aprendi que sem ter nascido, nada existe
Aprendi que partilho, o que tenho por dentro
Aprendi a valorizar, cada, meu momento!

Pozinho mágico, da Vida
Esta caixinha…
Meu encantamento!...


Maria Guida

domingo, 18 de março de 2012

Séniores da US de Odivelas, nos Açores

Em Ponta Delgada, o grupinho aterrava
A chuva fria, mansinha, nos esperava
“_Molhados e abençoados por S. Pedro”
Dizia o Fábio, nosso guia, manhã cedo! :)

Para aquecermos um pouco,
Fomos direitinhos, à estufa de ananases...

...Aquele licor nos aqueceu a alma…!
Com S. Pedro, fizemos as pazes :)!



Continuámos…
O nevoeiro estancou
E o Sol depressa raiou...

Na lagoa das sete cidades,
Duas espantosas beldades
Crateras de água doce, de fronte
As duas ligadas por uma ponte
Uma azul, outra verde, cores visíveis
São duas belezas, indescritíveis




Bravo!
Acima destas, a lagoa de Santiago
O espantoso verde-escuro, vívido
Decerto, que por Deus é servido!
Afortunado, quem passa por ela!
Lindo quadro que a vista apincela…!






Guardada pelas verdejantes escarpas montanhosas
Sua fauna e flora são fantasmas, fantasias amorosas
Uma beleza ímpar,
Que nos faz libertar…!
E quiçá sonhar…

A lagoa do fogo, de dimensão fenomenal
Encanta pela sua beleza natural
Está no maciço de Água de Pau
Energiza-nos o espírito, em elevado grau
Chega a atingir 30 metros de profundidade
Fenómeno geológico, grande misticidade! 


Na floresta Laurisilva
Com um clima que prima
Um monumento Natural!


Tão Bela a Caldeira Velha
Quão gostoso, o banho termal!




Açudes, cascatas, com águas de ferro...
Nas minhas vistas tudo isto enterro
As acastanhadas, águas ferventes
Acalmam as nossas mentes…
Os fetos arbóreos e espécies exóticas
São associação de vegetações tão próprias…!!!







O paradisíaco vale das furnas
Cortou-nos a respiração
O Jardim botânico Terra Nostra
Criou-nos, de imediato, inspiração

Mostra lagoa lindíssima
Géisers de água a ferver
E…
Enterradas no solo, junto às caldeiras




 As panelas…
 Com o cozido, devagarinho, a cozer

São manifestações geotérmicas
Panoramas deliciosos de ver



 
















Lamas medicinais
Nascentes termais
Ribeiras quentes
Fumarolas imanentes
E os miradouros…!
Para a alma, são tesouros!










Na cidade…
Despertamos numa amálgama de estilos
Na arte e urbanismo deliciados nos vimos
O azul e branco são as rainhas das cores
Pinturas tão apreciadas, meus senhores

Igrejas, ermidas, museus, jardins e conventos
O estilo barroco, a ourivesaria, as esculturas
Porcelanas, etnografia, belas pinturas
De nossos antepassados, outros tempos…

Na Ribeira Grande
Várias provas de licores
De todas elas gostei
Vi jardins de lindas flores…





Na fábrica da Gorreana
Chazinho,depois de almoço, fez cama
No miradouro de Sta Iria
A despedida, eu diria...
E o querer voltar noutro dia...

...
O autocarro seguiu aeroporto, diretinho
 Saudades muitas, nós levamos, de tudinho
...
Até as vaquinhas nos acarinharam
Em plena estrada, nos emocionaram!

A todo o grupo, agradeço
O gostoso partilhar, o sorrir
Foram dias bem saudáveis
Que desejo algures, repetir

O nosso guia fica incluído no grupo. Foi excecional todo o seu prestável apoio. Obrigada, Fábio.
A quem organizou a visita, fica também o agradecimento. Valeu!

À Direção da Associação Sénior de Odivelas, uma muito obrigada pelo projeto partilhado.


Vamos bailar um pouquito?
lol

http://youtu.be/IwzN8ROfIKY


Veja também o nosso vídeo!

maria guida

sábado, 10 de março de 2012

Partiste, mas não nos deixaste.


Partiste e na terra te enterraram
Mas connosco, teus ânimos ficaram
Noutra jornada te iniciaste
Mas não nos deixaste

Tua alma deixa este barco e recomeça
Atravessa o túnel e vê uma festa
No teu túmulo, não ficou teu ser
Ficou o invólucro deste viver

     ..................                   Contigo…sonhando mais além…
Outra liberdade mistério vem
São ressonâncias, ecos, perfumes
O relembrar de nossos costumes…

Transmites tua Luz divina
Essa Primavera Paz nos fascina
Ao eterno, ao sutil e etéreo

Ninguém quer luto
Buscam-se focos do absoluto
Se, olhos carnais veem sombras e escuridão
São vestimentas que sofrem de ilusão
Não são verdades, não…!

Cada ser é uma eternidade
Cada corpo, uma densidade
Na luminosidade do invisível
Todos uns,
Neste UM, universo Incrível!

Viajamos todos pelo infinito
E nesta dimensão…
Espera-se o reencontro de cada amigo
De cada irmão…


maria guida