Dizem os números que um ano cessou...e outro iniciou...Assim sendo,ou não,no tempo sempiterno,Eu Vou...Um abraço de muita paz e muito amor...a quem comigo, neste barco for...

Quando meu tempo mo permitir, porei neste espaço, o que e o quanto me possa brotar,para convosco desabafar...neste mundo de corridas, neste mundo de porquês...
01/01/2017
margui




quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

vinte e dois de janeiro

Espelho-me


Espelho-me nas folhas molhadas
Trazidas pela invernia
Penso na minha infância
Na poesia que eu via

Sei que num amanhã
Viverei dessas saudades
Do tudo que eram verdades
Do carinhoso abraço tão quente
Onde só sentia o presente...
...
Dos lugares onde ia cantando
E o sol sempre me queimando
Não conhecendo a palavra saudade
Era a mocidade...

Só quando o mundo me acordou
Ao ver nascer minha neta
Dei conta do tempo avisar
Que tenho mais é que cantar
E a todos, mais querer amar
E, de cada momento, fazer uma festa...


maria guida rodrigues

Sem comentários:

Enviar um comentário

É um prazer, receber o seu comentário.
Obrigada pelo contributo.
maria guida